Arquivo para 29 de abril de 2009

29
abr
09

As recomendações do governo Britânico no futebol

O “All Party Football Group” (APFG), é um organismo Britânico formado em 2003 e constituído por 150 membros da Câmara dos Comuns e Câmara dos Lordes Britânicos. O grupo de deputados de diversos partidos políticos se reune habitualmente com a finalidade de fazer recomendações referentes à gestão e administração do futebol Inglês, produzindo um relatório anual onde expressam a sua opinião sobre o assunto.

Na última lista de recomendações do APFG foram abordados muitos dos temas em debate atualmente no futebol mundial e que mostram a preoucupação dos governantes Britânicos em relação ao estado do futebol na Premier League e nas outras divisões. Entre outras, as 3 principais recomendações do APFG foram;

[1] A necessidade de criar regulamentos mais apertados que previnam milionários como Romam Abramovic e Malcolm Glazer de tomarem o controle dos clubes de topo do futebol Inglês. O organismo salienta por exemplo que o Manchester United antes da posse da família Glazer não tinha dívidas e depois da aquisição passou a ter dívidas de mais de 835 milhões de Euros (645 milhões de Euros no caso do Chelsea e da Abramovich), uma vez que a Malcolm Glazer tal como Abramovich contraiu um empréstimo em nome do clube, para pagar o custo da sua aquisição. O grupo de deputados sugere ainda que os empresários interessados em adquirir clubes, sejam sujeitos à apresentação de um plano financeiro, que inclua métodos e intenções de gestão futuros.

[2] Apoio a Platini no plano de banir das competições da UEFA, os clubes que tenham dívidas e a necessidade de criar um sistema próprio, idêntico ao sistema de licenciamento da UEFA por forma a fiscalizar as dívidas dos clubes. Esta medida forçará os clubes e os seus dirigentes a serem mais prudentes com a gestão dos clubes e a gastarem apenas o que podem, sob pena de perderem a sua licença.

[3] Apoio a Joseph Blatter na proposta 6+5 e a necessidade da sua implementação no futebol Inglês. Esta regra defendida há longos meses por Blatter obriga os clubes a escalarem nos onze titulares de cada equipe, pelo menos 6 jogadores nascidos no país onde cada Liga se realiza. A proposta de Blatter tem sido contestada pela União Europeia por restringir o movimento livre de trabalhadores nos países da União. No entanto o grupo parlamentar contatou o Secretário de Estado da Cultura Britânico, na intenção de convencer os dirigentes Europeus para a necessidade de criar um exceção para o futebol.

Mais uma vez a organização dos Britânicos impressiona e como em tantos outros casos, o futebol Inglês é o reflexo da sua organização.  Isso serve de exemplo para alguns dirigentes e autoridades do futebol no Brasil que parecem não entender que o futebol é uma das maiores indústrias do planeta e necessita de regulamentação especial. Ainda mais quando faltam apenas alguns anos para a Copa 2014 que terá o Brasil como país sede.

Anúncios